Boas vindas a quem chega!

Este é um blog destinado a falar de tarot. Para escrever sobre tarot e suas infinitas possibilidades. Para ler tarot, presencialmente ou online.

Para agendar a sua leitura, entre em contato: pietratarot@icloud.com ou (11) 98136-2050

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Torre - importante saber

Existem coisas que sabe-se que não dão certo. Misturar água com azeite, por exemplo. Você coloca as duas coisas ali, mexe até cansar, agita... mas, no fim das contas, por mais que um pareça estar cansado do outro e desistindo, eles se separam. E tudo que se tem é uma tremenda meleca...

Outras coisas que não dão certo e que aparecem muito em leitura de tarot:
- querer partir um casamento para ficar com ele/ela. Sinceridade, eu só vejo pessoas muito confusas, ou com dependências emocionais...
- querer engravidar para ficar com ele/ela.
- querer aprontar no emprego ou com o seguro para tirar um dinheiro extra.

E, vira e mexe, quando aparece um caso assim para mim, uma Torre espreita a leitura. Ela aparece para avisar que desse jeito: doente, co-dependente, triste, padronizado e infeliz está com os dias contados.

É claro que ela aparece em muitas outras ocasiões e, como divisor de águas, ela mexe com tudo... não é pontual... é geral... é a vida.

Logo, com ela te olhando na leitura, eu pergunto: se vc já tem uma ideia de que o raio vai cair e que vai ser no seu terreno e não apenas numa árvore ou antena, o que vc pretende fazer? Vc percebe o que é que vc está engessando, prendendo ou exagerando (ela vem depois dO Diabo, lembra?)? Qual é o plano mal bolado? Qual é a má vontade? Por que é que vc está cuidando da vida do outro e não da sua?

E aí vem A Torre como uma lembrança que, por mais que haja movimento e interação, somos responsáveis por nós, pois, de uma hora para outra, a pessoa (pessoas) com quem nos envolvemos pode mudar de ideia - e isso pode gerar essas mudanças tão drásticas.

Não somos donos da vontade alheia. Então, cuidemos bem da nossa. E que seja boa.

Estou escrevendo isso pq como é clara A Torre como sinal de: é, não dá mais.

Resposta padrão para esses casos: querid@, vc é água, ele/ela é azeite. Vamos atrás de um limão para combinar esse tempero? Um sal que derrete na sua, que tal?

Pietra

5 comentários:

  1. Esse aspecto divisor da torre é bem evidente em tudo que ela aparece, não só em relacionamentos. Ela é realmente um 'não da mais' literal, em varias situações que mexem com nossa vida no geral, a torre, ao meu ver, simboliza o ponto final da situação, gostemos ou não, seja nossa escolha ou não, é uma mudança que vem com tudo e que é necessária, seja em atitudes externas ou internas para com nós mesmos. =)

    ResponderExcluir
  2. Pietra,
    a Torre é dolorosa mas também é aquele sinal dos acertos de contas, e que, podemos após sair dos escombros e se aprendemos com ela, buscar outros rumos mais edificantes e calmos. Não custa nada pegar novo folego para refletir e seguir então.

    Bom sábado!

    ResponderExcluir
  3. Se tem algo que estou realmente aprendendo ultimamente é não julgar. Não julgar quem se apaixona, quem se ilude, quem segue por caminhos largos e aparentemente fáceis. A vida dá voltas e posso, dia desses, estar na posição de quem já julguei e condenei. E é apenas nesse momento que entendo a situação, porque estou passando por aquilo. Na questão do casamento, por exemplo, posso dizer que uma pessoa não tem o poder de partir um relacionamento. Quando me divorciei, meu ex-marido estava "namorando" com a mulher com quem ele está casado hoje e não foi ela quem nos separou; nosso casamento já havia terminado antes disso, só que ainda estávamos juntos. Pode ser dolorido, mas a mudança é para melhor - para todos os envolvidos. Então, que venha a Torre! Ou não, porque tudo na vida tem exceções e não dá para generalizar. Beijo grande!

    ResponderExcluir
  4. Como estou engatinhando no estudo do Tarô, tenho aprendido bastante com suas postagens. Abençoada sejas!

    ResponderExcluir
  5. Muito legal o post, Pietra... É sempre bom pegar estudos baseados em experiencias do dia-a-dia

    A Torre sempre me remete à outra, de babel. Quando uma coisa vai longe demais, sem dar ouvidos ao outro lado - a carta vem depois do diabo, né? pode passar por ele de dois jeitos muito negativos: um é ignorando ele e deixando de clarear a escuridão, outro é deixando a escuridão tomar conta e viver só a sombra - é deixar o barco perder o rumo, acaba afundando mesmo. "Tudo que é sólido se desmancha no ar", como nos diria Karl Marx. Acho que a torre lembra muito pragente de que muitas vezes somos nós mesmos que construimos nossos castelos de areia, e a natureza comparece pra nos lembrar que tudo tem consequencias. Pior é que nessa fase é muito fácil se perder no caminho, essas decisões "desesperadas" mostram muito disso. Fazendo uma leitura baseada na jornada do herói, essas são as dificuldades derradeiras: diabo/ torre/ lua (não fosse a estrela no meio ali, qualquer um morria no meio do caminho mesmo hehe) mas quem passa consegue ir pro final da estrada que é bem recompensador.

    Parabéns pelo blog, as reflexões estão cada vez melhores!

    ResponderExcluir